Porto de Havana – foto Alberto Frei

Da redação Cuba Hoje (com o Granma Digital)

No dia 18 de março deste ano, Havana serviu de ponto de evacuação para o Reino Unido de 682 passageiros e 381 tripulantes do navio de cruzeiro britânico MS Braemar, da empresa Fred Olsen Cruise Lines. A operação aconteceu no porto de Mariel, depois que a atracação foi negada por outros governos, porque doentes com Covid-19 estavam a bordo.

Na mesma semana que o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou a proibição de voos charters para Cuba, vários tweets do diretor administrativo da empresa, Peter Deer, anunciaram que a Fred Olsen Cruise Lines decidiu tomar Havana como sua principal base de embarque e desembarque de cruzeiros no Caribe, a partir da temporada 2021-2022.

O tweet do armador destaca que Havana como um novo porto base permitirá mostrar aos seus clientes a paisagem urbana do Caribe. Também é destacada a possibilidade de oferecer opções para que seus hóspedes tenham tempo de desfrutar da capital cubana, com saídas do porto à noite ou pernoites.

A postagem acrescenta que Havana sempre proporciona satisfação e obtém boas notas nas pesquisas realizadas que medem a recepção de clientes, “por isso é ótimo poder oferecer-lhes mais oportunidades de conhecê-la”.

Gratidão aos cubanos

Pela acolhida humanitária aos passageiros e teripulantes do MS Braemar, de várias maneiras o governo e o povo cubano receberam agradecimentos das autoridades do Reino Unido e de Peter Deer, que em uma mensagem disse: “seu apoio não será esquecido. Do fundo do meu coração, obrigado”.

Deixe uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui